Sub-20 do Netuno mantém treinamento online com acompanhamento da preparação física do clube


Após o agravamento da pandemia e o anuncio da fase roxa, por parte do Governo do Estado de São Paulo, a diretoria do Água Santa liberou os atletas das categorias de base para permanecerem em suas respectivas residências durante o período caótico de Covid-19 no Brasil.


Sem previsão de competições oficiais na temporada, a diretoria adotou a medida visando resguardar a integridade dos atletas, membros da comissão técnica e todo o staff das categorias de base do clube.


Após o anuncio, a forma que o preparador físico do Netuno, Edy Marcel, encontrou para que os mesmos não percam todo o condicionamento físico nesse período foi o treinamento online.


“Os desafios se apresentam para nos testar, isso é parte da vida. A nossa capacidade de encontrar alternativas para a superação é o que nos torna cada dia melhores pessoas e profissionais. No caso do treino online, cito alguns desafios: residências com limitação de espaço físico disponível para treinar, ausência de materiais que possam corroborar com a evolução do treinamento, a avaliação motora nos planos de movimento fica prejudicada pela transmissão de vídeo representar apenas duas dimensões, as correções ocorrem de maneira limitada pois o campo de visão fica reduzido pelo alcance da câmera,” explicou.


O Preparador físico ainda fez questão de ressaltar a importância dos atletas manterem o comprometimento durante as atividades.


“O básico para qualquer pessoa, em qualquer atividade profissional, é estar comprometido. Primeiramente consigo mesmo e, como no nosso caso, com o clube ao qual representamos. A ação dos profissionais da comissão técnica tem efeito direto sobre a atitude dos atletas, porém, se não houver dedicação, foco e comprometimento de ordem profissional por parte deles, eles colocarão em risco sua condição e disputar a posição de titular. A ação conjunta e qualitativa, entre o preparador físico e atletas, fará com que os resultados sejam condizentes com o que foi planejado,”


A situação não chega a ser novidade para os atletas e integrantes da comissão técnica, já que este artifício foi utilizado no ano passado, durante a paralisação do futebol no Brasil.

O meio-campista Gustavo Henrique, que foi um dos líderes da equipe que disputou o Campeonato Paulista em 2020, comentou sobre as dificuldades do treinamento virtual e a saudade de rever os companheiro neste período.


“As maiores dificuldades são a falta de contato com a bola, o campo e a academia, que são atividades fundamentais para qualquer atleta. E, mesmo que façamos trabalhos virtuais específicos, não se compara com as atividades em campo. Outro fator preponderante é o convívio com os companheiros, a rotina e as diversidades dos treinos,” concluiu Gustavo.

  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Instagram ícone social